PROGRAMA DE RESGATE DAS RAÇAS CRIOULAS GAÚCHAS

 

DEFINIÇÃO: As raças crioulas gaúchas são resultado de séculos de seleção natural dos animais domésticos introduzidos pelos europeus a partir do século XVI. Esses animais fizeram parte da formação e evolução do Gaúcho.

OBJETIVOS: Resgate, reprodução, pesquisa e venda de animais crioulos.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:

Rusticidade
Precocidade reprodutiva
Longevidade
Altas taxas de sobrevivência dos filhotes
Fácil adaptação alimentar
Ótimo temperamento

 

RAÇAS CRIOULAS GAÚCHAS ​

1. CAVALO CRIOULO

A partir do século XVII, muitos cavalos foram perdidos ou abandonados no Pampa e passaram a se reproduzir livremente, formando grandes manadas selvagens. Durante cerca de quatro séculos, os cavalos crioulos foram forjados através da seleção natural.

Enfrentaram a caça dos homens e predadores, passaram fome e sede, aguentaram frio e calor extremos.

Esta “nova raça” bem definida e com características próprias, passou a ser preservada desde então, vindo a ganhar notoriedade mundial. Em 1932 começa o registro da raça crioula no Brasil, quando várias associações foram criadas e, através delas, o valor do cavalo crioulo foi exaltado e comprovado nas mais diversas modalidades as qualidades da raça.

Qualidades da Raça: Rusticidade, Resistência, Bom Temperamento, Longevidade e Aptidão para o trabalho ganadeiro.

A Cabanha do Parque Gaúcho resgata e seleciona dentro da Raça Crioula de Cavalos as pelagens “manchadas”: Tobianos, Oveiros e Bragados.

 

2. CÃO CRIOULO OU “CIMARRÓN URUGUAYO” (chimarrão ou crioulo)

Sua origem descende dos cães trazidos pelos espanhóis e portugueses a partir do S.XVI. Muitos desses cães foram abandonados ou perdidos, os cruzamentos seguiram sem interferência humana durante vários séculos.

Sobreviveram no Pampa, abrigaram- se muitas vezes dentro de tocas ou cavernas, sua alimentação era a baseada na caça.

Essa rigorosa seleção natural fez com que somente os mais fortes, inteligentes, rústicos e adaptados ao ambiente hostil sobrevivessem. Forjando uma raça reconhecida mundialmente.

Características principais: companheiro, rústico e excelente aptidão para o trabalho no campo e convívio familiar (especialmente com crianças).

 

 

 

3.CÃO OVELHEIRO GAÚCHO

Descende de cães de pastoreio trazidos pelos europeus para auxiliar no trabalho com os animais nas grandes estâncias, foram selecionados pela aptidão exigidas no trabalho com gado bovino e ovino.

​É é um cão diretamente ligado ao trabalho do campo, acompanha o peão em suas lides rurais, desempenha a função de conduzir os animais, buscando-as no campo e levando-as a bretes e piquetes. Guarda e protege os animais da estância de outros animais e, até mesmo, de cães ou de pessoas desconhecidas.

​Cão muito companheiro, rústico e excelente aptidão para o trabalho no campo e convívio familiar.

Ditos do campo: “Um bom cão Ovelheiro substitui, com tranqüilidade, três homens. Um peão sem cão, vale meio homem”.

 

4. BULDOGUE CAMPEIRO

O Buldogue Campeiro tem a sua origem nos Bulldogs que vieram para o Brasil trazidos pelos imigrantes europeus desde o século XVIII.

Eram usados para capturar o gado selvagem, que se criava em meio a um ambiente hostil de campo e mata nativa.

São cães de grande versatilidade, possuindo características de guardião e de combatente bastante equilibradas.

São animais selecionados na lida, guardando a casa do tropeiro como também a carreta e o seu cavalo. Servem também de pastor e para derrubar um boi desgarrado.

Cão de temperamento vigilante e tranquilo, com acentuado espírito de luta e companherismo.

 

5. GADO CRIOULO

É a raça de gado mais antiga que existe na América. Tem a sua origem nas primeiras cabeças de gado trazidos pelos europeus no S.XVI.

​Estes animais foram selecionados em Portugal e Espanha para “povoar” as imensas áreas de pastagens no Pampa, com as expedições colonizadoras os animais começaram a se espalhar pelo Pampa, tornando-se novamente selvagens, passando a ser chamados de gado ”cimarrón” ou chimarrão.

Adaptaram-se rapidamente as diversas condições climáticas e devido as suas características de rusticidade multiplicaram-se de uma forma assombrosa por toda a Pampa. Dando origem posteriormente a primeira fonte de renda dos Gaúchos que era o COURO.

​A quantidade foi tão grande que por mais de 300 anos foram abatidos sem a preocupação de reposição.

​Suas principais características são: Docilidade, produção leiteira 4 a 6 litros/dia, facilidade parto, rusticidade, couro mais espesso, pouca exigência alimentar, carne com baixos teores de gordura, alta fertilidade e precocidade e longevidade.

​​

6. OVELHA CRIOULA

Ovelha Crioula é considerada uma raça local, com origem dos rebanhos introduzidos pelos jesuítas no Rio Grande do Sul, durante o século XVII, associado ao cruzamento de raças introduzidas durante a colonização portuguesa e espanhola.

A Ovelha Crioula está classificada como raça rara e conserva traços dos ovinos primitivos que lhe deram origem (presença de chifres e lã mais grossa e lisa), tem como antecessor mais remoto o Carneiro selvagem do sudoeste asiático, que originou o ovino primitivo.

​Raça muito resistente, precoce, carne muito saborosa com pouca gordura, a é lã muito valorizada para o artesanato.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar